em Notícias
0 Flares Twitter 0 Facebook 0 LinkedIn 0 Google+ 0 0 Flares ×

Recentemente, o Google anunciou que, a partir de julho deste ano, marcará todas as páginas que não possuem o certificado SSL (que permite a identificação do site como HTTPS ou invés de HTTP) como inseguras no navegador Google Chrome.

Desde 2015, os endereços que não possuem esse certificado já são penalizados nos resultados das pesquisas no buscador do Google. Além disso, o Google Chrome já mostra um aviso em verde com a palavra “Seguro” antes do endereço de páginas que possuem o certificado SSL.

Agora, a empresa passará a exibir um aviso semelhante informando aos visitantes de páginas HTTP que o site não é seguro. Você consegue imaginar a repercussão negativa que esse tipo de aviso pode ter nas visitas, conversões e vendas de um site? Por isso, páginas que ainda não possuem o HTTPS devem se apressar e corrigir essa situação para evitar problemas em um futuro muito próximo.

Mas, afinal, o que é o certificado SSL e o que fazer para adquiri-lo? Neste artigo, te contaremos tudo o que você precisa saber sobre o assunto.

O que é o certificado SSL?

O SSL (Secure Sockets Layer) é um protocolo de segurança que permite criptografar e proteger a comunicação entre seu site e o navegador de seus visitantes. Esses certificados são instalados no servidor web das páginas para prevenir que hackers leiam ou roubem informações de seus visitantes como números de cartões de crédito, nome de usuários, senhas e dados pessoais.

Como já dissemos, para identificar um site com o certificado SSL você deve observar a barra de endereço de seu navegador. Geralmente, há um cadeado perto da URL indicando que o site é seguro. Outra maneira é checando se a URL começa com HTTP ou HTTPS. Esse “s” a mais significa “secure” e identifica um site com certificado SSL.

Vantagens de ter um site HTTPS

Segurança: Por serem criptografados, sites HTTPS bloqueiam ataques de phishing (quando hackers tentam se passar por sua empresa) e evitam que pessoas mal-intencionadas captem dados confidenciais de seus clientes, leads e visitantes.

Confiança: Um site HTTPS mostra aos seus visitantes que você se preocupa com a segurança dos dados que eles te fornecem e decidiu realizar uma ação efetiva para tornar seu site ainda mais seguro. Isso gera um sentimento de confiança e credibilidade entre sua empresa e o público.

SEO: o algoritmo do Google utiliza como critério de desempate em seu ranking a segurança dos sites. Ou seja, um site HTTPS irá ter vantagens no SEO em relação a sites HTTP. Por isso, caso sua empresa realize ações de inbound marketing e SEO para melhorar seus resultados, utilizar um certificado SSL é indispensável.

Tipos de certificado SSL

Existem seis tipos principais de certificados SSL. Eles estão divididos em duas categorias: nível de validação e quantidade de domínios. Entenda a diferença entre cada um deles:

Nível de validação

Serve para confirma a identidade da empresa que receberá o certificado. Existem três tipos de certificados de nível de validação:

1. Validação do domínio: Este é um dos tipos de certificados SSL mais conhecidos. Ele valida o nível de confiança do domínio. Oferece segurança básica, seu custo é acessível e pode ser emitido rapidamente.

2. Validação da organização: Esse certificado valida seu domínio e verifica as informações de sua organização. É uma forma de certificar a segurança de seu site e a existência e idoneidade de sua empresa. Tem um nível de segurança considerado intermediário. Esse certificado é indicado para sites de empresas de médio porte e pode levar alguns dias para ser obtido.

3. Validação estendida: Esse certificado requer que as empresas forneçam ainda mais informações e documentos para validar sua existência e idoneidade. Ele pode ser identificado na barra de endereço do navegador, onde aparecerá o nome da empresa em verde ao lado do cadeado próximo à URL. Essa opção é recomendada para grandes empresas e pode levar semanas e meses para ser obtida.

Quantidade de domínios

Além do nível de validação, antes de adquirir um certificado SSL você precisa analisar como está organizado seu site – em um único domínio ou mais e se tem mais de um subdomínio. Para esses três tipos de situação, você irá encontrar três tipos de certificado:

4. Certificado SSL simples: Esse tipo de certificado pode ser instalado em apenas um domínio. Para utilizá-lo em outro endereço ou subdomínio é preciso adquirir outra licença.

5. Certificado wildcard (ou curinga): Os certificados SSL wildcard protegem todos os subdomínios de um único domínio.

5. Certificados SSL de múltiplos domínios: Para proteger mais de um domínio, é preciso de um certificado multidomínio, que oferece segurança para diferentes domínios de sua empresa usando a extensão SAN.

Como instalar um certificado SSL em seu site?

Primeiro você deve avaliar qual tipo de certificado SSL seu site irá precisar. Depois, entre em contato com seu serviço de hospedagem para verificar se ele oferece essa certificação ou se é compatível com o tipo de SSL que você deseja contratar. Em alguns planos de hospedagem o SSL é gratuito, enquanto em outros é preciso contratar à parte.

A principal vantagem de contratar essa certificação diretamente com a empresa que hospeda o seu site é que algumas empresas oferecem a instalação gratuita e realizam esse serviço para você. Quando você contrata de outra empresa, precisará realizar a instalação por sua conta.

No geral, os certificados SSL oferecidos pelas empresas de hospedagem são bons e servem para quase todos os sites. Entretanto, para sites de e-commerce ou cursos EAD – que precisam de muito mais segurança do que sites simples e blogs, por exemplo – o ideal é contratar a certificação por meio de empresas especializadas, que garantam a segurança dos dados de seus clientes para os casos específicos.

Quer receber informações sobre as principais novidades relacionadas ao marketing digital? Então, assine nossa newsletter.

Posts recentes

Deixe um comentário

Contate-nos

Digite o que procura e pressione "enter" para realizar a busca

Google Analytics e GDPR como evitar a perda de dadosLGPD: entenda quais são os impactos para o seu negócio